quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

À Vida e à sua sagração
Emanoel Barreto
O brinde, a taça, o gesto alegre.
A sentença do tempo esquecida
na hora dos fogos.

É o Homem festejando sua louca aventura
grandiosa. Vertigem.

Vamos dar rédeas soltas aos cavalos.
Velocidade, rapidez, grandeza.

Sem medo, vamos prosseguir
na estrada.

Jamais alcançaremos o seu final,
pois a Vida não tem marca de chegada.

Viver é estar correndo sempre.
Evoé!

ZOORÓSCOPO -

UIRAPURU - Seu cantar é o mais belo da floresta. Neste zoosigno, os nele nascidos são os poetas. Mas seu canto não é apenas o de brindar a beleza, o gesto nobre, humano, belo. Suas vozes podem se erguer em gritos de denúcia, reclamando direitos, respeito, decisão, luta. São de Uirapuru os artistas, os loucos sublimes, que dentro de si tiram sons e cores, acordes e canções. Não gostam de acomodar-se e sempre se atiram aos mais altos desafios. Repelem o medíocre, o previsível, as regras caducas. Partem ao combate, pois não temem os riscos. Chegam à vitória, mesmo que os outros pensem que perderam.

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Assim caminha a humanidade
Emanoel Barreto

Esse velho-novo todo dia - Como as páginas amassadas de um velho livro já muitas vezes lido, folheio a net. Jornais daqui e do mundo apenas requentam a pequena eternidade de todos os dias; seus conflitos, perplexidades, ganâncias, atrocidades. Aqui e ali, alguma coisa boa, mas são tão poucas...

Isarel prepara um morticínio ante a inação das grandes potências. Na África, a aids mata milhares. Ali, a fome e guerras internas dilaceram a humanidade de povos que vivem à miséria, depois de despojados de suas riquezas pelas potências européias. Nada de novo no front. Apenas a perpetuação de crimes dos fortes contra os fracos.

Como uma fogueira quase apagada, as chamas da brutalidade são sopradas com força pelos que mais podem. E logo as labaredas tornam a brotar, queimando, queimando, queimando...

Nas dobras do velho livro que olho, letras, palavras, frases, fotos, tudo se emaranha e se apresenta como uma mensagem sem nexo, sentido ou intenção. O que resta, afinal, depois da leitura, é a certeza de que tudo está incerto e tão certo como dois e dois são cinco.

ZOORÓSCOPO

TARTARUGA - As pessoas aparentamente lentas, quase invisíveis em seus movimentos calmos, são deste zoosigno. Na verdade não são lentas, são serenas. Sabem encaminhar os passos de sua vida sem alarde e mergulham quando sentem que é preciso sair de cena. Nem sempre são compreendidas, mas, sábias, não se atemorizam com as críticas. Afinal, conhecem bastante do mundo para pedir aplausos.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Israel agora prepara o holocausto dos palestinos
Emanoel Barreto

Choro e ranger de dentes - Israel, ao que parece, prepara seu holocausto ao voltar-se contra o povo palestino na Faixa de Gaza. A desproporcional reação israelense em resposta a ataques feitos com foguetes de construção caseira, demonstra como o poderio desse aliado dos americanos pode ser usado contra pessoas indefesas.

Os atentados terroristas do Hamas, deploráveis pela requintada crueldade com que são praticados, não justificam o que Israel agora programa: perpetrar um ataque por terra, quando se sabe que esse tipo de guerra, com o apoio de carros de combate, equivale a um extermínio quando tem por alvo populações civis em área urbana. Se isso ocorrer, milhares de inocentes serão mortos.

O povo de Israel tem se apresentado ao mundo, há milhares de anos, como ente coletivo que vem padecendo sob a opressão de várias nações, desde os egípcios até Hitler. É verdade. Israel sangrou e sofreu brutalmente. Esse padecer chegou a seu ápice, exatamente, com a barbárie nazista. Mas agora, invertendo os Pólos, Israel, como nação, ameaça atirar-se sobre população indefesa e executar quem estiver pela frente.

ZOORÓSCOPO

Sucuri - Se homens, os nascidos nesta casa zooroscópica, são traiçoeiros. Têm atitudes disfarçadas e sabem a hora exata para dar o bote. Se mulheres, utilizam-se de todos os seus encantos para chegar a seus fins. Caras e caros consulentes de Sucuri: devem ter cuidado quando de suas manobras, pois muitas vezes se metem com pessoas de Carcará que, como se sabe, quando podem pegam, matam e comem.

sábado, 27 de dezembro de 2008



O tempo, a vida e o que mais será
Emanoel Barreto

O tempo, esse desafio - O tempo passa rápido como aquela gota que caiu de seu corpo - e você nem percebeu quando saía da água - no último mergulho do verão. Agora, vem novamente mais um verão e você também nem percebeu como foi depressa o ano, entre um e outro.

Você nem percebeu que, de repente, de menino encapetado ou menininha linda, tornou-se um adulto cheio de, por que não dizer, periféricos: contas para pagar, casa, automóvel, problemas os mais diversos, decepções, algumas alegrias.

O tempo anda ao nosso lado, caminha passo a passo conosco. Se temos serenidade, calma, um pouco de sabedoria que seja, ele será amigo, confidente, orientador, profeta do dia seguinte. Se não, será o pior dos nossos inimigos.

Há um minuto, 2008 estava começando. Agora, faltam poucos segundos para se acabar. Daqui a mais uns minutos, bom, daqui a mais alguns minutos estaremos frente a frente com a velhice - esse período que marca a nossa corrida para o fim, o não-tempo.

Se soubermos chegar à velhice trazendo dentro de nós a juventude domada e tornada sábia, seremos equilibrados e renascidos em nossos netos. Se não, teremos sido vividos pelo tempo. E no nosso último instante saberemos que tudo não valeu a pena.

Mas, sejamos otimistas. Cada cabelo branco, que seja um aliado; cada ruga de preocupação, uma irmã; cada passo já cansado, uma lembrança de que fomos vencedores na grande caminhada. E no abraços de nossos filhos e netos, uma réstia da alegria que ainda temos guardada em algum canto secreto da Vida que em nós se aninhou.

ZOORÓSCOPO

ÁGUIA - Coragem e decisão. Essa é a síntese dos nascidos nesse zoosigno. Terão sempre grande capacidade para enfrentar problemas e desafios. Os de Águia são assim: eternos lutadores. Capazes de enfrentar em solidão os piores momentos e deles sair sempre renovados. Aptos, permanentemente, a partir para a batalha sem temer em que resultará a sua luta. Coragem é a sua essência, desprendimento seu legado, firmeza a sua fortuna.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008


Flexibililizar para melhor poder explorar
Emanoel Barreto

É sempre assim - Pelas coisas de jornal que vi na internet, há setores empresariais, especialmente na área de supermercado, que desejam a "flexibilização" das leis trabalhistas. Tomam como base as vendas de fim de ano, que não teriam sido tão boas como desejavam. E, "para conter o desemprego" que deverá advir com a crise, querem que a legislação mude.

Objetivamente, o que o empresariado quer é exatamente o oposto do que o seu discurso apregoa: que fique mais fácil demitir-se o trabalhador, ao invés de assegurar-se o seu emprego durante a crise. Dizem que, com uma legislação flexibilizada, será mais fácil assegurar o emprego e a empregabilidade.

"Flexibilização", para quem não percebeu ainda, é nada menos que um eufemismo para facilitação ne exploração dos trabalhadores, seu desamparo e perda de conquistas históricas. Não sei se a proposta, que está sendo analisada pelos supermercadistas de S. Paulo, que pretendem do governo a obtenção da derrubada de leis trabalhistas, ganhará força, formando um lobby perante o Congresso. Mas sei que em sua essência, esse movimento não tem qualquer boa intenção, ao contrário do que anda dizendo.

ZOORÓSCOPO

Mosca - Sabe aquela pessoa chata, insistente, que não tem nada o que dar, mas está sempre a exigir tudo? É de Mosca, pode ter certeza. Detalhista como aquela mosquinha insuportável que você espanta e ela volta um minuto depois, para o mesmo lugar, o mosquiano é assim. Não tem limites para suas investidas, seja no amor, no trabalho ou nas relações pessoais. Quer sempre ser o centro das atenções e, para isso, torna-se cada vez mais do contra. Quando está em bando, os de Mosca são como aquelas moscas que atacam o gado: o infeliz que esteja sob alvo de sua artilharia sofre, até pedir perdão por existir.

quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Coisas de Natal
Emanoel Barreto

Chegou, é hoje o dia.
É noite também.
Noite de Natal.

Tem gente feliz,
tem gente que nem.
Tem gritos, tem festa,
tem ouro no ar.

Recebam, ó todos,
um abraço bem forte.
Na festa chamada
de Feliz Natal.
Zooróscopo

Tamanduá - Fortes, persistentes, capazes de chegar aos locais mais escondidos, quem é de Tamanduá tem também como característica a falsidade. Seu abraço é a marca maior e expressão mais vigorosa da traição. Na aparente confraternização está o momento preciso do gesto mais traiçoeiro. Quando as coisas não vão bem abaixam-se e andam engatinhando. Depois, erguem-se e partem para o ataque.

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

As crianças em busca do Natal
Emanoel Barreto

Eles sobem o morro da vida,
vão em busca do seu Papai Noel.
É Natal e esperam noite e dia
que um dia afinal lhes seja bom.

São crianças, são pobres, pequeninos.
Manjedoura é sempre o seu pão.
E caminham sem rumo numa vida
que sempre vazia de amor.

ZOÓROSCOPO

Aedes Aegypti - Quem nasce sob essa casa zoosígnica age em bando, é uma epidemia social. Não se cansa de sugar o que é dos outros e, depois disso, deixam como rastro a desolação. Facilmente encontráveis no serviço público e têm seus sonhos realizados mediante expedientes de suborno, falsificação, ganhos ilegais. Dizem aos filhos que devem ser bons, mas envergonham-se de informar como pagam seus estudos em escolas e universidades particulares.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2008



Madonna é só uma ilusão de ótica
Emanoel Barreto

Não veio para ficar - A foto é da revista Serafina, da Folha. Trata-se de uma publicação mensal. Colocada alegoricamente como na tela como Cristo, a intenção é mostrar como a cantora Madonna tem a seu lado um grupo de assessores competentes, dedicados, quase que extensão de sua personalidade.

A idéia, uma grande sacada em termos de edição, busca retratar Madonna como figura central na cultura pop, o que é uma verdade. Como também é verdade que a artista é apenas um produto da indústria cultural. Não tem um trabalho "para sempre". Quando esmaecer, as músicas que canta jamais serão parâmetro para o futuro, como os Beatles, BB King ou Rolling Stones.

Madonna é um exemplo perfeito de como o transitório é trabalhado para parecer eterno. A repercussão intensiva de sua imagem pública é apenas isso: repercussão intensiva, pois não conseguirá escapar do poder do tempo, o que a faria extensiva e marco para sempre.

Madonna somente ganha força em função dos atos periféricos que traz atados à sua personalidade de palco: coreografia, sexualidade, jogo de luzes e bailarinos saltitando a seu redor.
Cantando sozinha, sem a parafernália tecno-humana que engendrou, jamais conseguiria chegar onde chegou. Madonna é somente isso: uma ilusão de ótica. Tão ilusão quando a montagem feita pela Serafina.

Zooróscopo

Corcel - Zoosigno dos líderes, marca as pessoas que têm visão de futuro, estão adiante de seu tempo e têm energia e capacidade de chamar a si seguidores. Os corcelianos são enérgicos, exigentes, não suportam falhas nem perdoam tropeços. Está aí o lado mais difícil: agindo assim, vêem nas pessoas apenas sua função, esquecendo que o ser humano está acima da profissão ou papel que esteja desempenhando. Podem ser injustos e somente muito tempo depois reconhecem o seu erro. Como são imperiais, muito provavelmente terão a seu lado seguidores, mas dificilmente terão amigos. Quando em desgraça, poucos aparecerão para lhes valer.

sábado, 20 de dezembro de 2008



Era maconha? Tudo bem: é coisa de jovem...
Emanoel Barreto

É isso aí, bicho - Quando adolescente, Barack Obama usava drogas. Maconha e cocaína eram, vejamos, amigas suas. Ao que parece, nada de vício; o uso seria, digamos, recreativo. Nesta foto, feita por uma amiga sua, Lisa Jack, hoje psicóloga, ele porta o que aparentemente seria um cigarro de maconha.

As coisas de jornal que andei vendo pela internet contam que as fotos foram guardadas por ela desde então. Durante a campanha, Jack redobrou os cuidados para que as fotos não viessem a cair em mãos adversárias.

É aí que quero chegar. À concepção de notícia. Agora, as fotos são souvenirs, lembranças de uma juventude arrabatada, curiosa, quem sabe angustiada, às vezes, incerta, desafiante, transgressora. Somente isso. E por que as fotos são jrnalisticamente inofensivas?
Pelo fato simples de que Obama transformou-se em figura de mídia, é querido do mundo, é presidente eleito dos Estados Unidos. É carismático e representa no imaginário de milhões a possibilidade de ver no grande país do norte surgir algo que possa ser considerado como mais humanizado, menos bélico e explorador.
Se as fotos tivessem sido usadas durante a campanha, seria o contrário: ele seria apontado como alguém que fora desmascarado, flagrado num passado marginal, criminoso até. Obama, o farsante. E mais: se ele, mesmo presidente eleito, não tivesse uma imagem pública tão positiva, as fotos ainda fariam grande estrago seu capital político.
É fácil notar como os fatos, dependendo das circunstâncias, podem tomar esse ou aquele rumo. Nosso valores podem dar a um acontecimento uma visão boa ou má, dependendo de como forem conectados a outros acontecimentos. Bafejado pela fortuna, Obama pode olhar para essas fotos como lembrança de que apenas estava sendo jovem. Em caso contrário, ele as veria como um baú de lembranças a ser escondidas.
ZOORÓSCOPO
Golfinho - São boas as previsões para você, que é golfiniana ou golfiniano. Terá sempre bons amigos, dará e receberá abraços, apoio e, se preciso, amparo. São pessoas de personalidade fulgurante, sempre dispostas a participar. Gostam do sol, são arrojados, encorajadores. Em caso de dificuldade, conseguem lutar e vencer, encontrando sempre, mesmo em meio aos vendavais, a certeza de que podem transformá-los e uma grande onda para o mais belo surf. É bom gente assim, não é?
Uma saudade a mais

Amigo, poeta a jornalista, Walter Medeiros vez por outra me envia seus textos, belos, como o que se lê a seguir:

Uma saudade e mais

A jornalista e professora Nadja Lyra, coordenadora pedagógica da Escola Municipal Santa Catarina, localizada no conjunto que tem este mesmo nome, convidou-me para proferir a Aula da Saudade dos alunos do 5º ano e sugeriu que falasse sobre “Saudade”. Que coisa! Passei uma semana refletindo sobre esse tema tão fascinante, a partir de experiências próprias e versos dos poetas e músicos que tanto mexem com o nosso coração.

De cara fui logo aos anos 50, quando aprendia a ler no Grupo Escolar Professor Demócrito Gracindo (homenagem ao pai de Paulo Gracindo) em Mata Grande, cidade do alto sertão de Alagoas aonde meu pai foi parar matando mosquito da dengue, após passar pela guerra sem matar nenhum alemão. Depois que aprendi a juntar as letras e sílabas, era belo entender o que estava escrito no pára-choque branco do caminhão de Nezinho, meu vizinho: “A saudade me fez voltar”. Ficava imaginando a saudade que le sentia a cada viagem que fazia com aquelas cargas altas de antigamente.

Em seguida, veio à mente uns versos que não poderia deixar de citar na aula: “Itabira é apenas uma fotografia na parede / mas como dói!”, escritos por Drummond no seu poema “Confidências de Itabirano”. E o significado da palavra – substantivo feminino abstrato - segundo Aurélio: “Lembrança nostálgica e, ao mesmo tempo, suave, de pessoas ou coisas distantes ou extintas, acompanhada do desejo de tornar a vê-las ou possuí-las; nostalgia.”

Aí veio mais uma coisa interessante para aumentar a saudade, que tanto espaço ocupa nesse mundo: ela tem um dia para ser lembrada e comemorada. O Dia da Saudade – 30 de janeiro. Para lembrar que essa palavra não tem similar em nenhuma outra língua e que espanhóis, ingleses, franceses, alemães e outros tentam expressar o sentimento de falta com frases inteiras, tipo “ich vermisse dish” (alemães).

Aquela platéia me reconduzia mesmo era à minha sala de aula, onde Professora Josefina Canuto me ensinava e, depois, no Externato Saturnino – já em Natal, a professora Maria das Neves trazia novidades. Coincidentemente a professora de uma das turmas se chama Neves. Impossível não lembrar de Ataulfo Alves, exclamando: “Que saudade da professorinha / que me ensinou o be-a-bá!”.

Para falar de saudade não poderia deixar de citar o Fado – gênero que tanto me toca e que tocou até Roberto Carlos, ao cantar Coimbra: “Aprende-se a dizer saudade”. Fernando Pessoa, em texto saudoso: “Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão: quem são aquelas pessoas? Diremos... Que eram nossos amigos. E... isso vai doer tanto!” E é claro que citei Casimiro de Abreu , cujos poemas eu os tinha decorados, e que versificou sua saudade da infância: "Oh! que saudades que eu tenho / Da aurora da minha vida / Da minha infância querida / Que os anos não trazem mais!".
Agora estou, sem dúvida, com uma saudade a mais.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

A festa de Ali Babá; a farra dos 40 ladrões
Emanoel Barreto

O Projeto Ali Babá - A Câmara dos Deputados barrou o projeto que aumenta o número de vereadores dos atuais 51.924 para 57.267 em todo o território nacional. A alegação é que isso implicaria em aumento de despesas para os municípios, o que é uma aterradora verdade para a pobre cidadania brasileira.

As coisas de jornal que andei lendo na Folha e Estadão indicam que, agora, senadores e deputados estudam como farão para abrir novas vagas nos legislativos municipais, sem que isso represente ônus para o contribuinte.

Sinceramente, minha matemática ou até mesmo aritmética é rudimentar, é do tempo do ábaco, imagine. Assim, não sei dar resposta a tal pergunta, questão de alta indagação: como atulhar as Câmaras Municipais, sem que isso resulte em despesa?
Na verdade, a pergunta seria outra. A pergunta é a seguinte: para que mais vereadores? Para quê? Precisamos tanto assim de novos cérebros privilegiados, pessoas da mais alta compostura moral e estatura intelectual para decidir os destinos dos nossos burgos? Que assuntos de tamanha complexidade estão postos, para que se chamem novos sábios, demiurgos, estrategos e adivinhos do bem-comum?

Não, não. Não precisamos de mais gente na rinha política. Precisamos, isso sim, de seriedade, ética, sentido histórico da missão política. O que está posto, pelos farristas do Senado e da Câmara, é o chamamento de mais gente para esbulhar os dinheiros públicos. Uma gentalha que vai pilhar verbas que deveriam ser empregadas para aquele homem, honrado e pobre, lá nos arrabaldades da vida, que tanto precisa de um posto de saúde funcionando, escola decente para os filhos, moradia digna...

Essa proposta, esse trambolho, é o tipo da coisa a que podemos chamar de Projeto Ali Babá. Quando for aprovado, virão os quarenta ladrões, em busca dos trinta dinheiros.
* Quando eu era criança, a Rádio Rural de Natal tinha aos domingos um programa infantil. Sempre, sempre, eles colocavam um disco que que se contava a história de Ali Babá. Os quarenta ladrões cantavam bem assim: "Nós somos ao todo quarenta/Quarenta famosos ladrões/Roubar o ouro não compensa/Nós só queremos milhões."

ZOORÓSCOPO

VERME - É o zoosigno de todos os deputados e senadores que vão aprovar o Projeto Ali Babá. Todos os nascidos sob tal casa astral nasceram sem escrúpulos, não temem enterrar as mãos nos mais sórdidos esgotos da podridão moral e, o que é pior, serão sempre bafejados pela fortuna. Ditarão as leis e serão sagrados aos mais altos postos.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

"Quem é aquele rapaz? Será um africano?" *
Emanoel Barreto

Lembranças - Sertão central do Rio Grande do Norte. 1961. Encantado com a paisagem eriçada e rude, eu seguia montado no passo tardo de um cavalo manso, escolhido com cuidado pelo velho Patrocínio, tio da Minha Mãe. Ele não queria que o sobrinho praciano sofresse os percalços de montar um cavalo de vaqueiro. Chamou-me e disse: "Pode montar sem medo. Esse é Soberano. Vai para onde você mandar."

E lá fui eu, percorrendo os caminhinhos, sendas abertas a facão no meio da caatinga. Coisa de quatro da tarde. O vento era só pra dizer que tinha. O vento do sertão anda abraçado com o calor, para quem não sabe. Eu me sentia um verdadeiro caubói. Durango Kid. E imaginava, em meio aos galhos secos, espinhos e cro'as de frade, cardeiros e macambiras, existirem bandidos à espreita, prontos para ser acertados pelos meus tiros de infância.

Soberano andou, andou e, lá adiante, vi uma figura que vinha em minha direção. Era um velho. Negro, alto, o cabelo branquinho, a barba também. Lembrava a visão clássica do Pai Tomás. Puxei as rédeas de Soberano, quando o homem fez sinal como a mão. Queria que eu parasse. Aproximou-se e perguntou: "O minino é arguma coisa de Seu Patrocínio?" Respondi que sim. Ele disse: "Vim aqui pra falá cum ele, um negoço de umas vaca qui quero vendê."

Eu apontei, lá na poeira da distância, o rumo da casa-grande. E ele: "Então, vô pra lá."

E eu: "Vamo, que eu vou com o senhor." E saímos. Soberano mais parecia uma muralha, perto do cavalinho dele. No caminho, contou-me coisas de suas viagens, do tempo em que vivia longe daquelas terras.

Contou, como quem conta uma epopéia, um épico, uma canção de gesta. Os olhos da minha emoção estavam arregalados, pasmos com a vida daquele sertanejo. Por um momento, quase vi a meu lado Amadis de Gaula ou o próprio Aquiles, quem sabe Orlando Furioso. Aquele homem era feito de todas as lendas que povoavam meu imaginário infantil.

E ao final, já chegando à casa de Tio Patrocínio, ele revelou: "Minino, um dia ainda vô m'embora. Vou viajá, andá pelo mundo de novo. E aí, quando eu vortá, acho qui as pessoa vai perguntá: 'Quem é esse rapaz? Será um africano?'"

Aquela conversa, aquela figura, hoje fazem parte de lembranças que ficam guardadas em meio a memórias antigas, escondidas todas em alguma caverna de Polifemo, território traçado no mapa mais meu.

E hoje, às vezes me pergunto: "E se um dia eu viajar? Também quero viajar. Vou viajar. E espero que quando eu voltar as pessoas perguntem: quem será aquele rapaz? Será um africano?
*O homem da foto é incrivelmente parecido com o personagem desta crônica.

ZOORÓSCOPO

HIENA - Boas previsões para você, hiniana ou hieniano, pelo menos na fortuna. Ganhará rios de dinheiro, não será punido e poderá, sempre, se apresentar como pessoa respeitável. No amor, entretanto, as coisas não irão tão bem. Pelo seu caráter truculento e egoísta, somente poderá fazer par com os de Barata ou Tubarão. Mas, aí, ambos sairão perdendo, pois um tentará engolir o outro. No mais, vá em frente, que a estrada é larga e o caminho é bom.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

O chope, o champanhe e o que virá
Emanoel Barreto

É isso, é isso aí - Vida velha, tempo besta. Natal, alegria cronometrada no tempo do ano, é festa sazonal. Obrigatório ser feliz. Depois réveillon, para lavar com champanhe as tristezas passadas e estimular na imaginação que o Bem virá no próximo ano, montado no cavalo branco da esperança.

Esperança, não. Expectativa. O que há em nós, em todos nós, é expectativa; seja aquela incerteza quanto àquilo que virá a nos assediar, ou vontade de que o ano tenha momentos de cristal. Dúvida. O ritual de finalização do ano é um grande ato coletivo em torno de uma pergunta: o que virá?

Sei que esta crônica nasceu antes do tempo. Deveria ter sido escrita dia 31. Mas é que hoje ouvi, num shopping, uma conversa entre dois senhores. Elegantes, mais de sessenta anos, bebiam chope. Um deles virou-se para o outro e disse, colocando a mão em seu ombro: "Amigo, esse negócio de festa de final de ano é sempre a mesma coisa. A gente se alegra de véspera. Depois, é rezar, para ver se a alegria se lembra de ficar."

ZOORÓSCOPO

Zebra - Zoosigno típico dos indecisos, dos tímidos, dos que não sabem escolher qual o caminho. Mas também é encontrado entre os falsos, disfarçados, hipócritas e vendilhões da honestidade. Como são indefinidos, podem meter-se em qualquer ambiente e tirar partido, querendo levar vantagem em tudo. As previsões para 2009 são as piores possíveis: se os tímidos não tomarem um rumo, se os espertinhos não se emendarem, podem dar de cara com alguém de Coruja. Aos primeiros, punirá com sua exclusão da vida competitiva, pois não têm coragem de lutar; aos segundos, dará a punição que suas patifarias exigem. É o que afirmam os grandes áugures da zooroscopia.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008


O velho Marx ainda tem razão
Emanoel Barreto

Grita a Crise, louca, venenosa.
Grita e diz não saber porque
seu dinheiro se foi e a conta é alta.

Grita e se diz vítima fatal, injustiçada,
de todos a quem, tanto, já prejudicou.
O Mercado, pai amado e louco,
bebeu demais, gastou, se embriagou.

E agora, ao berros, desesperado,
pede à filha amparo, um abraço, um teto.
Sabe que errou, jogou, irresponsável...

Sabe que não sabe tudo.
E que, no fundo, bem no fundo,
o velho Marx ainda tem razão.

ZOORÓSCOPO

Garça - Eis que encontramos o zoosigno dos calmos, serenos, bem resolvidos. Sua placidez muitas vezes é confundida com desconcentração ou até mesmo fraqueza. Ledo, grande engano.
Os de Garça sabem, sempre, o momento exato de levantar o vôo. E os laços e teias ficam para trás, embaixo e esquecidos.

domingo, 14 de dezembro de 2008

É dinheiro do povo? Então, mete bala!
Emanoel Barreto

Dá para acreditar? - O UOL, do Grupo Folha, diz: O Ministério da Defesa prevê investir R$ 1,27 bilhão na realização de uma olimpíada militar. Os chamados Jogos Mundiais Militares, que ocorrem a cada quatro anos, terão a quinta edição em 2011, no Rio de Janeiro. As provas serão realizadas nos estádios e ginásios do Pan-2007, como o parque aquático, o velódromo, o centro de tiro e o Maracanãzinho. Essa economia de infra-estrutura, no entanto, não evitará que o orçamento projetado pelo governo alcance a cifra bilionária.O evento, que o Brasil sedia pela primeira vez, custará mais que a conclusão do programa nuclear da Marinha (R$ 1,04 bilhão), considerado estratégico para colocar o país no seleto grupo dos que dominam o ciclo do combustível nuclear. Ainda para efeito de comparação, o valor da olimpíada da caserna é três vezes o que o Brasil já pôs na missão de paz no Haiti em quatro anos (R$ 431 milhões) e um quarto do pacote de reaparelhamento da Força Aérea, o FX2, estimado em R$ 4,5 bi.

Vamos gastar, vamos gastar
No mínimo lamentável a iniciativa do Governo. Ou muito me engano, ou há gente no país precisando de mais escolas, hospitais, polícia e as próprias Forças Armadas mais bem remuneradas e preparadas, universidades federais com mais verbas, e por aí vai. Um acontecimento bilionário como esse é, no mínimo, um tiro no pé. E tiro de canhão.

ZOORÓSCOPO

MOSQUITO - Incômodos, renitentes, ferinos, os mosquitianos sentem-se muito felizes em fazer a pequena pirraça do dia-a-dia, o inferno medíocre da difamação menor, o prejudicar alguém até mesmo tomando-lhe o lugar na fila. Previsões: como trabalham sempre na arraia-miúda, serão sempre facilmente destrutíveis por alguém com mais força e valor moral. E depois de desmoralizados, serão permanentemente excluídos e vistos como lamentáveis.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008


A corrupção, bicho que não se vê,
mas que está solto por aí
Emanoel Barreto

Coisas para se pensar - O caso da "venda" da cadeira de Barack Obama e a prisão do desembargador presidente do Tribunal de Justiça do estado do Espírito Santo, somente para citar dois casos mais recentes, é um demonstrativo de como a corrupção é algo preocupante e se instala, se alastra nos patamares do Poder.

A corrupção é como que um ente, algo incorpóreo, uma instância espiritual, intangível e vivo, impalpável mas presente. A rigor, de substantivo existem apenas os corruptores e os corrompidos. São pessoas, são materiais. Mas a corrupção, da forma como institucionalizou-se, ganhou a forma intocável de algo; a corrupção tornou-se um ser.

Em todos os países ela está presente. Suas conseqüências são sempre danosas e agravam o patrimônio público e, por decorrência, a sociedade, especialmente junto aos que dependem do Estado enquanto entidade de assistência.

O grande problema que gera, decorre do fato de que corruptores e corrompidos utilizam o Estado como coisa sua. Encontram-se taticamente instalados em postos-chave, de maneira que podem manipular verbas públicas em proveito próprio. Trata-se de grave questão de ataque à moral e à ética e, aparentemente, não há como fazer a limpeza, a sua retirada do corpo social.

Ser corrupto ou corrompido é hoje quase um estilo de vida, uma profissão, uma atividade marginal - no sentido de estar ao lado, paralelo -, do Poder Público. A sociedade civil deve estar atenta, ou então esses bandoleiros da nação tenderão a crescer em número e em eficácia, roubando da sociedade um dos seus bens mais preciosos, a honradez.

ZOORÓSCOPO

PAPAGAIO - São os bonachões, faladores, contadores de piada, brincalhões e boa gente. Como muitas vezes são críticos mordazes, podem dar uma grande contribuição na luta pela queda de ídolos-de-pés-de-barro. Devem porém ter cuidado, como muitas vezes os tais ídolos gostam de tender prendê-los com aquelas correntinhas a algum poleiro somente para ouvi-los falar, devem acautelar-se. O bom papagaiano não deve aprender o que lhe dizem, mas dizer o que muitos não querem escutar.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008


Veja só como são belas, tolas, fulgurantes
Emanoel Barreto

Enfeitadas, mas não, nunca são loucas: é assim o mundo, o mundo mesmo.
Risíveis, mas já foram elegantes.
Ridículas, mas então eram beldades.

E muitas viviam e vivem ainda hoje,
como se o ridículo que um dia serão,
seja belo, intenso, magnífico.
Pois esse é o pálido destino de
muitas vidas que em vão, se vão.


ZOORÓSCOPO

Libélula - É o tolo, inconstante, gazeteiro. Em nada pára e flutua pelo ar. Fala muito e nada diz. Seu futuro é apenas o momento que vive. As previsões não são nada alvissareiras: pela sua inconstância jamais terão amigos leais, pela sua frivolidade são também péssimos amigos ou amigas. Quem for de Corcel jamais deverá unir-se a Libélula.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Foto: Folha de S. Paulo
As mãos sobre o sangue derramado
Emanoel Barreto

O direito de ser humano - Há 60 anos a ONU aprovava a Declaração dos Direitos do Homem. Com 48 votos a favor e duas abstenções, o plenário reconhecia a necessidade de valorização do ser humano, após a barbárie nazista e a explosão de duas bombas atômicas nas cidades japonesas de Hiroxima a Nagasáqui.

Trata-se de lei de profundo conteúdo ético, um alarma, um grito agudo e penetrante em favor do respeito à vida. Assim, a declaração estabelece que "todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos", e coloca o homem como centro da história, definido por sua humanidade e não mais por sua classe social.


À vida em sociedade nem sempre correspondeu o respeito à vida enquanto valor inalienável e supremo. E vida, aqui encarada em seu sentido mais largo, pungente, belo, abrange as condições de trabalho, moradia, assistência aos que precisam, cuidados aos que se encontram em situação degradante e humilhante, promoção da pessoa em todos os sentidos.

Vivemos um momento especialmente dramático. As condições históricas nos encaminharam a dilemas universais, cujas conseqüências podem ser o armagedon, hecatombe sócio-bélica ou o Holocausto advindo da imersão de sociedades inteiras na miséria mais hedionda, resultado da exploração desses povos por nações mais poderosas e economicamente concupiscentes. A África é o exemplo mais clamoroso, ante o silêncio criminoso e omisso das grandes potências.
Se olharmos para trás, estendendo esse olhar às origens mais enevoadas do nosso gregarismo, veremos que o homem sempre esteve envolvido com enfrentamentos que resultaram em sacrifícios de vidas humanas, crueldades, morticínios. A par disso, a constituição das sociedade em classes contribuiu decisivamente para a formação de guetos, favelas, zonas de exclusão social, vivendo-se ali uma existência de privações e crueldades sociais inaceitáveis.

A Declaração dos Direitos do Homem é um documento que é moral em sua essência e ético em suas conseqüências. Diariamente, entretanto, é desrespeitado e muitos sucumbem em meio ao maremoto social mais repulsivo.

É preciso viver a vida em plenas condições de dignidade. E se não for dado ao homem a possibilidade de ser humano, que isso seja conseguido pela sua conscientização e progresso da democracia. Pela sua mobilização e movimento coletivo de protesto.

Não há mais como conviver com o escárnio das elites perante os desvalidos, com o cinismo dos poderosos em detrimento dos fracos, com o lamentoso pântano das injustiças, com a sufocação da decência, com o clamor dos inocentes. Não podemos mais nos dessangrar, bater, tripudiar. O Homem deve ter o destino da Paz.


ZOORÓSCOPO


CONDOR - São aqueles que pensam alto, lideram com firmeza e têm larga visão; são bons amigos, sérios e nunca faltam a quem deles precisa. Previsões: como pessoas raras, habitam um mundo truculento e cheio de abismos. Não raro, são vítimas de indignidades e traições. Devem ter cuidado com Lacrau, Cobra e Hiena.

segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

sábado, 6 de dezembro de 2008

Foto: Thaís Emy Ohata
De como resolver as coisas num país, calando-se a palavra
Emanoel Barreto

Tempos difíceis - As coisas no País não estavam nada boas. A inflação campeava, o desemprego crescia e a violência tornava-se institucional. As pessoas não agüentavam mais e cresciam os protestos proporcionalmente à ascensão do descalabro. Os partidos de oposição, minoritários, pouco ou quase nada podiam fazer.

Insatisfeito com as mobilizações, atos públicos, passeatas, gritos e manifestações do povo desesperado, o Governo fez aprovar uma lei: por ela, ficava determinado que cada pessoa teria um limite máximo de palavras em seu repertório. E quanto mais se falasse mal do governo, mais o estoque de palavras iria se acabando, até que todos ficariam mudos. Claro, quem falasse a favor, ganharia bônus e até aumentaria o vocabulário, passando até a conhecer termos sofisticados, já pensou?

Sim: depois de mudo, previa a lei, ninguém poderia se comunicar usando aquele sistema dos surdos-mudos, lembra? Era pena de morte na certa. Quem quisesse experimentar, que tentasse. Todos se curvaram.

E assim, a lei entrou em vigor logo depois de ser aprovada. Em menos de seis meses todo o povo estava mudo. Até os bandidos ficaram sem poder falar. Os bandidos não gostavam da ação da polícia, que mesmo corrompida os atacava. E como os bandidos reclamavam, ficaram também mudos. Resultado: ninguém escapou, até que afinal o Governo sentiu-se satisfeito.

Mas conseqüências não-programadas logo se fizeram ouvir: como a comunicação dos surdos-mudos estava proibida e somente os gestos básicos, esses que a gente faz para chamar alguém ou dar adeus, não conseguem uma comunicação muito eficiente, instalou-se o caos.

As fábricas pararam, os bancos deixaram de funcionar e escolas, hospitais, lojas enfim, tudo desmoronou. Os únicos lugares que ainda funcionavam eram bares, boates, motéis e bordéis, onde a voz não é essencial. Nos bares e etc, os músicos, impedidos de cantar, tocavam e isso garantia o público. Ou seja: somente em ambientes de baderna as coisas funcionavam bem.

O Governo então compreendeu que não poderia mais conviver com aquela situação. Todos bêbados e sem trabalhar. Prestes a chegar à bancarrota, o Governo decidiu: revogue-se a lei do silêncio. Todos poderão falar. Mas, de agora em diante, estarão impedidos de pensar.

ZOORÓSCOPO

TARTARUGA - Em matéria de preguiça são imbatíveis. Portanto, os prenúncios indicam que jamais chegarão a ganhar dinheiro, a não ser em loterias ou jogos de azar. No trabalho serão excelentes incapazes; na vida, eternos sonolentos.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Eles querem matar a Amazônia
Emanoel Barreto

Veja só - A bancada ruralista tenta aprovar, com apoio do Ministério da Agricultura, proposta que libera a plantação de mudas de dendê na Amazônia e anistia todos os grandes agricultores que plantaram em áreas de preservação permamente até 31 de julho do ano passado.

A ação brutalizadora sobre a amazônia é reflexo do tipo da mentalidade que tem hegemonia nos patamares dirigentes da sociedade, seja do ponto de vista privado, seja da parte do Poder. Ou seja: uma compreensão estreita de que a natureza é um recurso, não um patrimônio da humanidade.

Nossa sociedade civil não é forte, é difusa e alienadiça, não tem porta-vozes suficientemente capazes de arregimentar a opinião pública para o crime de lesa-humanidade que está em curso. As conseqüências dessa ação predatória já se fazem funebremente sentir: aumento da temperatura, chuvas ácidas, degelo no pólo, destruição de rios e florestas.

Mentes voltadas somente para o capital e o lucro têm as rédeas do mundo e farão, sim, elas farão, do mundo um grande inferno. Lamentável, não?

...............

ZOORÓSCOPO

Beija-flor - É o zoosigno das mulheres belas, belíssimas; encantadoras fadas das mais lindas visões. Elas são alegres, sua presença reluz, tem tonalidades furta-cor nos cabelos e os olhos são meigos como a formosa dos cantares de Salomão. Mas, saibamos: podem ser, pela própria natureza do seu zoosigno, inconstantes, volúveis, voluntariosas. É um perigo uma mulher somente bela.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008


Cadeia para quem precisa de cadeia
Emanoel Barreto

A Folha informa - O ministro Tarso Genro (Justiça) comemorou nesta quarta-feira a decisão do Judiciário de condenar o banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity, a dez anos de prisão por corrupção ativa. Sem entrar no mérito da decisão, Tarso afirmou que o país vive um momento de "harmonia" entre as instituições, que cumprem suas funções, sem diferenciar os denunciados. "O Brasil não estava acostumado a ver figurões [condenados]. E aqui não estou julgando se ele é culpado ou não", disse.

Mas, em nota, a defesa de Dantas afirmou já ter pedido a anulação do julgamento e que as provas são "fraudadas".


..........


A decisão do juiz Fausto de Santis, é reveladora de sua postura de magistrado que age segundo o que dele espera a sociedade. É preciso que alguém neste país, alguém com poder decisório de punir as elites, tome a decisão, e a ponha em prática, de mandar para a cadeia criminosos ricos.

O processo deverá demorar ainda, como é comum, quando gente de colarinho branco está metida com a Justiça. Mas, de alguma maneira, aplaudo a ação do juiz de Sanctis.

O Brasil cultiva uma cultura solidamente afixada a uma estrutura: a de que figurões são virtualmente impuníveis. Essa impunidade se transforma em impunibilidade, ou seja: impunidade diz respeito a que alguém, mesmo devendo ser punido, não o é, pela negligência ou cumplicidade da autoridade; a impunibilidade, decorrência reiterada da impunidade, coloca como que acima da lei aquele que a infringiu repetidamente.

Seria assim uma imunidade social, uma espécie de salvo-conduto, decorrente do status do autor de crimes. O caldo de cultura que privilegia as elites até nesse ponto é algo infamante que precisa ser eliminado. É preciso, sim, pôr na cadeia todos os criminosos. Todos.

..ZOORÓSCOPO

Burro - Zoosigno predominante na população brasileira, nossas previsões são funestas: trabalharás a vida inteira, sofrerás nas filas e amargarás o fardo da pobreza, da dor, da fome, do temor pelo dia seguinte.

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

O lobo simpático e sua pele de cordeiro
Emanoel Barreto


Se o lobo tem pele de cordeiro, cara mansa, jeito meigo e cordial, tem calma, ó leigo viajante, que a fera não é feita de papel. Para fugir é preciso engenho e arte. Sutilezas de grande espertalhão.

Foge agora, quando ainda tens o tempo. Amanhã, estará a te atacar.E quando, por incauto, caíres na emboscada, lembra o conselho que antes te diziam: "É um lobo em pele de cordeiro." Mas será tarde, ó tolo desvairado. Os lobos, como ninguém, sabem ser os mais ternos e lindos cordeirinhos. E como mordem.

..........

...ZOORÓSCOPO

Abelha - Zoosigno das pessoas que são equilibradas: sabem trabalhar, mas também divertir-se, viajar. Podem parecer inconstantes, mas, na verdade, são apenas bastante ativos. Ou então, estão viajando. São corretos, prestativos, cumpridores de seus deveres. Mas, se são explorados ou ofendidos, ninguém se engane: o abelhinano sabe como ninguém se defender. Previsão de vida: saberão gozar das delícias do mel, pois trabalharam muito para ter esse direito.

sábado, 29 de novembro de 2008

Os piratas e a crueldade dos civilizados
Emanoel Barreto


É lamentável - Os recentes episódios envolvendo piratas somális trazem às coisas de jornal a evocação de tempos nebulosos, nuvens do passado aventureiro, brumas e canhões. Tempos em que os galeões eram mina de ouro navegantes e os velejantes bandidos eram o terror dos mares.

Agora, todavia, temos uma realidade dramática, que o noticiário das coisas de jornal não aborda: a terrível e desumana condição do povo somáli, uma nação onde o Estado praticamente não mais existe e a sociedade se rege pelo terror e pela força sem controle. Brutalidade. E ali, a pirataria, como que num passe de mágica macabro, está de volta.

Não há dúvida de que o criminosos devem ser combatidos. Duramente. Mas o mundo não pode esquecer que eles são o indício de que todo um povo, historicamente explorado, agora está à deriva. A fome grassa descontroladamente, a criminalidade se impõe com desenvoltura; doenças, angústia e total descontrole assolam tudo por lá.

E o mundo ocidental, "civilizado" está de costas não apenas para a Somália, mas para a África como um todo. Os países africanos não têm importância geopolítica e, assim, aqueles negrinhos devem ser deixados à sua própria sorte. Ou azar.

A África é um grande clamor a céu acerto. A África é um mergulho no inferno. Seus piratas são, nada mais, nada menos, que a folha-corrida da injustiça, da degradação que ali foi implantada pelas grandes potências coloniais, que agora lhes dão o esquecimento e o estupor. Nem Barba Negra teria praticado tanta estupidez.

.........

ZOORÓSCOPO

PULGA - Cara ou caro consulente: se você tem uma incontrolável tendência a aferrar-se às pessoas, ficar insistindo em coisinhas miúdas, medíocres, piadinhas que humilham e enojam, discutir trivialidades como se fosse coisas importantes e gosta, mas gosta messo de ferir, fincar-se em alguém, esteja certa ou certo: você é de Pulga, com ascendente em Carrapato. Faça um exame de consciência e, se possível, evolua. Quem sabe, poderá migrar de casa zooastrológica e chegar a ser de Beija-Flor.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Quando a guerra é santa, quem vence é o diabo
Emanoel Barreto
É isso - Os acontecimentos na Índia mostram o quanto o fundamentalismo pode levar o mundo a atitudes de loucura, Não é o primeiro nem será o último perpetrado por terroristas islâmicos, certos de que estão em guerra santa contra o Ocidente.

A rigor, matar em nome de Deus é algo tão velho quanto a própria humanidade. Os povos antigos atiravam-se a guerras de conquistas e uma das conseqüências de domínio sobre outros povos era o banimento dos deuses dos vencidos.

As Cruzadas não tinham por propósito "libertar das mãos dos infiéis a Terra Santa"? Pra você ver...

O fundamentalismo diversificado, a servidão a deuses tão loucos quanto seus adoradores, são uma marca dos nossos tempos. Por exemplo: a crise monetária que está corroendo as grandes economias resultou, não tenho dúvida, da adoração de fundamentalistas financeiros ao deus dinheiro.

Sua adoração, com o vende-que-vende de papéis que não valiam nada, acabou na crise. E o ídolo dos pés de barro, o mercado, mostrou-se um deus miserável e indigno; e atirou seus adoradores ao abismo.

Na verdade, não é bem assim: os adoradores, que são os banqueiros, vão se dar vem, já estão se dando. O inferno do deus dinheiro ficará para a sociedade. E assim, de loucura em loucura, caminhamos. E a cada tiro, explosão ou medo, a serenidade continua ao deus-dará.

..............

ZOORÓSCOPO

POMBO - Pessoas sociáveis, amáveis, gostam de fazer amigos e participar de grandes grupos, como fazem os pombos nas praças. São prestativos como os pombos-correio e necessários como a pomba da paz. O problema é que os nascidos em Falcão, ou pior, Abutre, os perseguem sem trégua. Um conselho: se você é de Pombo, reúna-se a quem seja de Andorinha ou Golfinho e, neste fim de semana, seja muito feliz.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Me dá um dinheiro aí!
Emanoel Barreto

Para meditar - Não existe o bom médico, o bom engenheiro, o bom advogado, etc... etc... etc...? Pois bem, existe também o bom ladrão. Os estudos sociológicos mais recentes informam essa nova tendência e em Oxford, Cambridge e Coimbra, diligentes estudiosos debruçam-se sobre tal tema com a dedicação de sábios e diligentes doutores.

Ao que fui informado, o bom ladrão deve inscrever-se no perfil abaixo. Quanto mais próximo do padrão, maior sua qualificação, destreza, apuro técnico, confiabilidade, presteza e, veja só, ética. Já pensou, um ladrão ético? Isso é bom, muito bom. Abaixo, veremos porquê.

Agora, os tópicos que definem um bom ladrão:
Agilidade: o bom ladrão, especialmente se for batedor de carteira, deve ser rápido, imperceptível e apoderar-se da bolsa sem que a vítima perceba. Agindo assim, terá menos chances de ser notado e preso e, melhor, a vítima não ficará traumatizada por uma ação contundente. Só depois perceberá o furto e agradecerá aos céus por não ter sido espancada.

Objetividade: tem objetividade o ladrão que, sendo assaltante, não usa de meios termos e surpreende seu alvo de forma clara, precisa e, em alto e bom som, anuncia: "Assalto!". Isso assegura que a ação será rápida, reduzindo em muito a possibilidade de agressão. Bom para o assaltado, que logo, logo, se verá livre da situação.

Frieza: pode ser medida pelo domínio que o ladrão tenha da situação. Deve ser considerado frio aquele que a despeito do perigo de ser capturado auxilia sua vítima e orienta como deve agir. Podem ser encontrados entre os que atacam motoristas em sinal de trânsito e dizem: "Passa a carteira! Mas, devagar, que o sinal ainda demora a abrir..."

Confiabilidade: decorrência imediata da frieza, é confiável o ladrão que age segundo aquele padrão e, portanto, deixa implícito ao assaltado que ele não será molestado, desde que (o desde que é importantíssimo!) aja segundo o que determina o profissional.

Ética: é ético o ladrão que jamais assalta outro ladrão ou não maltrata os infelizes que, circunstancialmente, mantenha em cativeiro após seqüestro. É essencial que, nesse caso, liberte o aprisionado após receber o resgate.

Seriedade: sério é todo ladrão que, estando em conluio com policiais, repasse a estes aquilo que foi acertado. Afinal, trata-se de uma organização. E, como hoje todas as empresas, portanto organizações, se apresentam como "tendo uma missão" o crime organizado também precisa de uma missão, qual seja: trabalhar ininterruptamente para manter os policiais honestos em ação. Caso desapareçam os ladrões, a polícia deixa de ser necessária. Portanto, um bom ladrão precisa continuar trabalhando, a fim de assegurar o emprego desses funcionários públicos armados. Em conseqüência, também terão empregabilidade garantida juízes, promotores, serventuários da justiça, carcereiros, pedreiros que trabalham na construção de presídios, engenheiros que projetam os presídios e empregados de fábricas que produzem armas. A continuar, a lista seria praticamente interminável.

Como vimos, do aperfeiçoamento dessa inestimável categoria profissional depende muito o bom funcionamento da sociedade como um todo. Afinal, uma esperança de luz no fim do túnel, quando eu já pensava que tudo estava perdido. Se encontrar um bom ladrão, dê-lhe os parabéns e, se for o caso, até mesmo uma goa gorjeta.

.........

ZOORÓSCOPO

Pavão - São aquelas ou aqueles que se julgam os maiorais. Se homens, são metrossexuais, meticulosos, pernósticos, abusados. Se mulheres, gastam fortunas com perfume, roupas de grife, futilidades. Em ambos os casos, têm o destino dos fogos de artifício: brilham muito por poucos instantes e depois ninguém sabe aonde foram parar. São facilmente encontráveis nas fotos de colunas sociais. Nascidas ou nascidos em formiga, não devem com aqueles manter vínculo demorado.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

A aranha que vai salvar o mundo

Emanoel Barreto
A Folha informa: Parece que os atuais moradores da ISS (Estação Espacial Internacional) perderam um convidado para a festa de dez anos do projeto. A cerca de 350 quilômetros da Terra, os astronautas não sabem onde uma aranha foi parar.

No alto, à direita, uma das aranhas que foram enviadas para a Estação Espacial Internacional como parte de uma experiência.

Dois aracnídeos foram mandados para o laboratório da ISS pela Endeavour, há cerca de dez dias, para experimentos científicos. Mas um deles desapareceu.

O sumiço foi notado quando astronautas abriram o recipiente em que a aranha deveria estar, informa o "The Times". Segundo funcionários da Nasa, a aranha não está perdida, apenas "não pôde ser encontrada".

"Não acreditamos que ela tenha deixado o módulo", disse Kirk Shireman, da Nasa, ao jornal. "Estou certo de que a encontraremos nos próximos dias."

A equipe que está na ISS suspeita que a aranha esteja junto da outra, no recipiente vizinho --que ficou repleto de uma densa teia, provavelmente construída como proteção devido à confusão da aranha com a gravidade zero.

Sally Magnus, uma das oficiais da missão, destacou que a estrutura criada pelo animal é diferente da que ele fazia em terra. "A teia formada é mais ou menos tridimensional e toma todo o recipiente da aranha", disse. Os controladores em Houston descreveram a estrutura como "uma teia complicada e desorganizada".
.............
Questão de alta indagação - Com certeza, não há com o que nos preocuparmos. Sem dúvida, a aranha deve estar, nesse momento, oculta em algum canto, absorta em profundos pensamentos sobre como salvar a Terra.
O negócio foi o seguinte, informou-me um cientista amigo: deslumbrada com a gravidade zero, certamente medita em como trazê-la para cá. Imagine: com a Terra sem gravidade, acabarão todos os problemas, pois todos serão reduzidos a... gravidade zero. E, quando algo não tem gravidade, não tem problema, pois todo problema tem algum tipo de gravidade. É só uma questão de implicação, percebe?
Assim, essa bondosa aranha, ao trazer a gravidade zero, aliviará o peso na consciência de todos os culpados, vilões, mandriões e escroques. Sem culpa, todos serão bons e trabalharão pelo bem-comum. Isso desencadeará um círculo virtuoso o qual, por sua vez, elevará os bons pensamentos, hoje presos ao chão por nossa velha e pesada gravidade. É isso: um pequeno passo para a aranha, um grande salto para a humanidade.
...ZOORÓSCOPO
Galinha - É preciso entender, galiniano amigo, que o mundo não é só o seu terreiro, poleiro, milho. O mundo, vasto mundo, é composto também por gaviões, carcarás, cobras e lagartos. Quem nasce em Galinha é pacífico, meio bobo, prestativo.Sua ingenuidade poderá levá-lo ao alçapão e daí à panela.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

O luxo não está nem aí para a crise
Emanoel Barreto
Deu na Folha - Os dois maiores centros de comércio de luxo do país, a Daslu e o shopping Iguatemi, prevêem desaceleração de consumo no ano que vem como conseqüência dos desdobramentos da crise financeira mundial.

A Daslu planeja trabalhar com estoques mais baixos, reduzir a oferta de importados e se concentrar nos produtos com mais saída. Já o presidente do grupo que controla o Iguatemi diz que em um primeiro momento o setor sai beneficiado pela crise, com a troca de despesas de longo prazo pelas de médio e curto, e pretende atrair clientes com grifes cobiçadas no país.

........
O que a Daslu e o Iguatemi não previram, nem lhes interessava, foi a redução da oferta de empregos ao mundo, aos habitantes do mundo real, que a jogada malandra dos banqueiros americanos provocou. Mas, para eles, tudo, parece, está de ajustando. E, no fim, cada coisa estará no seu lugar.

É chocante como as elites atuam: seu cinismo sádico e devorador, comprador, adquirente, parece não levar em conta que a vida não se resume a seu nicho de mercado, estreito e privilegiado. As elites parecem não entender que, para manter sua usura, preguiça e improdutividade, milhões têm que trabalhar em todo o mundo. Muitos sofrem para que uma madame use seu diamante.

Aos pobres, aos muitos pobres, cabe o exercício do subemprego, da venda de produtos baratos, até mesmo de lixo, que, para eles, é, ironia, luxo: a única coisa que conseguiram fazer na vida, para se tornar necessários. E o fazem com tanta dignidade, tanto empenho e senso de dever, que tornam-se exemplo, merecem respeito e, de fato, se fazem respeitar.

..ZOORÓSCOPO
POLVO - É aquela pessoa pegajosa, que cola, gruda em você. É invejosa, má e sempre tem tentáculos espalhados. De tal forma, que sempre estarão pegando no seu pé. Podem ser vistas em todos os ambientes, desde reuniões familiares, até os mais altos escalões de empresas, públicas ou privadas. O polvolino é rápido, desloca-se com facilidade por todos os ambientes, e ninguém melhor que ele para espalhar uma fofoca. Mas são covardes e, com sua grande habilidade em se esconder, fogem, sempre que são confrontados. Homens nascidos em Tigre não devem se meter com mulheres em Polvo.

domingo, 23 de novembro de 2008

A moça tão bonita e o belo gato azul
Emanoel Barreto

O domingo era belo por inteiro.
Só faltava uma moça e um gato azul.
E de tanto chegarem reluzentes.
Fizeram o mundo ser melhor.
......
..Zooróscopo
Formiga - Zoosigno que predomina entre os trabalhadores, o formiguiano é diligente, ativo, prestativo, obediente, cumpridor de horários, de regras, respeita as leis e paga suas dívidas. Sem dúvida, pelo seu próprio fazer, o formiguiano sempre é levado para o buraco pelos nascidos em Tubarão e Onça, zoosignos dos sabidões e quejandos. Mulheres nascidas em Pavão, que desejem ter uma vida de perfume e prazer, não devem jamais se casar com homens de Formiga. Serão levadas ao mais atroz desespero e acabarão completamente loucas.