sábado, 4 de março de 2017

Lei de reforma da Previdência

Art. 1° Todo trabalhador brasileiro terá direito a aposentadoria.

Art. 2º A aposentadoria, entretanto, somente será concedida a quem tenha pelo menos cem anos de idade e duzentos de contribuição e manifeste sincera intenção de morrer o mais breve possível.

Art. 3º Se a sincera intenção de morrer não for percebida pelos peritos quando do pedido de aposentadoria o requerente será punido com mais quarenta anos de atividade laboral.

Art. 4° Após esse período o trabalhador será aposentado compulsoriamente.
             Parágrafo único: Ser-lhe-á, todavia, nomeado tutor que o eliminará tão logo perceba intenções de continuar a viver por muitos anos, visando desfrutar de sua grande aposentadoria.

Art. 5° Trabalhadores com menos de cem anos de idade poderão aposentar-se em caráter excepcional, desde que e se cumprirem os seguintes requisitos, todos ao mesmo tempo: estar cego; encontrar-se paralítico; tenha perda completa de voz; apresente total ausência de audição e esteja respirando com a ajuda de aparelhos.

Art. 6º Caso o trabalhador tenha milagrosa recuperação de qualquer um dos males que o afligem deverá voltar imediatamente à ativa.

Art. 6º Voltando à ativa o trabalhador deverá devolver todo o dinheiro que ganhou indevidamente quando do período de inatividade.

Art. 7º O trabalhador ao aposentar-se e manifestar a supramencionada sincera intenção de morrer o mais breve possível terá direito de comprar um revólver calibre 38 com financiamento a juros baixos, a fim de suicidar-se.

Art. 8º Caso não tenha condições de adquirir uma arma o Estado providenciará financiamento a juros baixos. Após sua morte a família ficará encarregada de pagar a conta da arma adquirida.

Art. 8º Caso o trabalhador comprove judicialmente que não tem quaisquer condições para compra da arma poderá dirigir-se ao Setor Nacional de Providência de Armas onde lhe será facultado o uso de revólver calibre 38 a fim de que se suicide. 

Art. 9º O aposentado terá as seguintes regalias:
A)  Poderá respirar cem vezes por dia;
B)  Poderá caminhar o quanto quiser desde que esteja dentro de casa;
C)  Se estiver na rua somente poderá dar duzentos passos;
D) Terá direito a uma refeição por dia;
E)  Poderá beber até dois copos de água diariamente;
F)  Poderá ler esta lei quantas vezes quiser.

Art. 10 Aquele que não quiser aposentar-se será severamente punido – até mesmo com pena de morte – pois a aposentadoria é uma conquista e um direito de todo trabalhador brasileiro. 

Art. 11 Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação, revogando-se todas as disposições em contrário.

sexta-feira, 3 de março de 2017

KCNA/Reuters


O ditador da Coreia e a farsa de Temer

Kim Jong-un, o rabicundo ditador da Coreia do Norte, expressa, na ridícula situação captada pela foto, o quanto o Poder transtorna as pessoas: seja na própria imagem do mandatário em seu sorriso ardiloso, seja na sujeição das crianças e da jovem que com ele compartilham a cena.

Somente alguém muito tolo acreditaria que ali está registrado momento autêntico, captação de um flagrante onde a camaradagem e a sinceridade é compartida entre líder e liderados.

Ao contrário, o que existe na imagem é um sujeito com poder de vida a morte, ao lado de vassalos. 

Mesmo admitindo-se que a propaganda oficial crie nas mentes juvenis a suposição de que estão privando da informalidade do mandão, farsa e farsa.

Estabelecendo-se um paralelo com a nossa realidade temos aqui também um governo – que se não tem, claro, qualquer proximidade com a essência ideológica da insanidade coreana – tornou-se por si mesmo uma farsesca realidade.

Temos um assim chamado presidente que corre de um lado para o outro apagando incêndios políticos que seus iguais teimam em reacender a cada explosão de seus atos sujos. 

A imagem pública de Temer é péssima. Somente não piora porque são raras as pesquisas.

Viessem as tais com a mesma intensidade com que pipocavam quando Dilma era presidente e veríamos o quando o ocupante do Palácio do Jaburu estaria sorumbático midiaticamente.

É que, dizem, o jaburu é a ave brasileira que representa a tristeza, o desalento, a desolação, a aflição. E isso tudo são situações fartas no cotidiano nacional. 

O jornalismo amigo já tentou usar a figura da Sra. Temer como baluarte para criar, literalmente, uma boa imagem do governo. O problema é que o governo é um problema. 

 E, como não estamos na Coreia do Norte não há fotos suficientes para dizer que está tudo bem.  




quarta-feira, 1 de março de 2017



O Brasil, o sábio trapaceiro e as cinzas da quarta-feira


Somos um país de festa, onde mascarados ricos caminham suntuosos pelos corredores secretos de Brasília, trocam favores de última hora e esperam que num passe refulgente de prestidigitação, alguém, quem sabe um louco, talvez um sábio trapaceiro consiga deslindar os nós entrelaçados da Lava Jato e trazer paz aos farsantes. 

É tudo o que eles – você sabe quem – desejam.

Somos um país de carnaval; mas estamos em cinzas e todos sabem disso. Pouco a pouco e vida política vai voltar ao normal, ou seja: às manchetes. 

Ali, como capítulos de uma novela se revela a capitulação dos que são desmascarados e assumem novo papel: entram em cena os delatores premiados. 

E os delatores são como aqueles tipos que participam do BBB: quando são expulsos do programa querem a fama a todo custo; querem ser ouvidos, contar o que viveram, debulhar as podruras dos que ficaram. 

E assim fazem os BBBs da Lava Jato: querem falar, são premiados com sentença benévola – a deleção e premiada, lembra? – e ganham nas manchetes a condição de aliados da honradez – é de última hora, claro; mas, no Brasil, você queria o quê?  

Logo, logo, haverá os ex-deladores: poderão escrever livros, virar celebridades arrependidas, quem sabe um filme com cenas picantes?

Mas, estamos numa quarta-feira e temos cinzas. Começo a temer que nem somos um país. De qualquer maneira lá vem o Brasil descendo a ladeira. 
.........
Imagem: https://www.google.com.br/search?q=veneza+carnaval&client=firefox-b&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwiBw-WvvrXSAhUJFJAKHaEvDbkQ_AUICCgB&biw=1920&bih=922#imgrc=GrDyO8oTi4-oFM:

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017


http://180graus.com/noticias/jaqueline-farias-do-bbb11-ja-foi-rainha-do-carnaval-carioca-e-dancarina-de-latino-391240.html
Esquentai vossos pandeiros


Emanoel Barreto

Ainda é festa. 
A cuíca zurra sua cantiga bárbara, lúbrica, luxuriosa - e geme; o cavaco solta acordes finíssimos, agudos como ponta de florete; surdos marcam profundos o ritmo que alucina; tamborins são como sopranos em ária sensual; caixas atiram-se para a frente cantando a liturgia do prazer. 

Mulatas flertam com o desejo agarrado às suas ancas. É o Brasil em festa. É o carnaval como fascinante sagração do desvario. E os pandeiros entoam seu ritmo feiticeiro.

Chegou a festa. Somos a civilização de Baco, somos o povo feliz. Feliz por quatro dias, feliz pela ilusão criada de sermos felizes por exatamente quatro dias.

Samba, suor e cerveja são nossos deuses lascivos. Com eles iremos até o fim. Até que o último arquejo licencioso se cale, até que a última gota esgote o jato libertino vamos ser felizes, vamos ser felizes por quatro dias.

Viva o Brasil. Viva essa alegria louca que confunde mas aplaca; que excita mas acalma, palpitando no coração por mais loucura. Viva o Brasil. Viva o carnaval. Viva a mulata que esconde nos quadris a imoderação e todas as suas delícias.