sábado, 11 de setembro de 2010

O dia em que não teremos volta
Emanoel Barreto

O povo americano lembra hoje os nove anos do 11 de setembro. Em meio a isso um pastor desasisado intenta queimar exemplares do Alcorão em protesto à construção de uma mesquita nas proximidades de onde ficavam as torres gêmeas. Nada demais; apenas a já bem conhecida velha loucura humana.

Trata-se de algo antigo, algo que suponho a nós inerente: nossas limitações em compreender o outro, o estranho, o distante, o estrangeiro. Desde a pré-história, passando pelas hordas, pelos povos já organizados, pelas civilizações, essa tem sido a nota dominante: o homem lobo do homem.

As culturas se criando e criado um mundo à sua imagem e semelhança; constituindo verdades que desmentem as verdades dos outros; formando afinal um caudal de conflitos que nos levaram do imperialismo romano à hecatombe da bomba em Hiroxima; da primeira guerra mundial ao 11 de setembro e deste sabe-se lá para aonde.

Assim caminha a humanidade: os povos, guiados pelas ilusões coletivas que criaram, incentivados por líderes mais loucos ainda, se atiram a uma aventura muito perigosa - belicismo e a violência, o terrorismo e seus sequazes - aparentemente não se dando conta de que p0de chegar um dia em que não teremos volta.

Um comentário:

LEANDRO WILLIAN disse...

Certamente todo dia 11 de setembro para os norte-americanos é lembrado com um saudosismo extrememo. E como é praxi sempre ter um episodio para marcar o dia junto a queda das torres gemeas desta vez foi a infeliz declaração do pastor de querer queimar o Alcorão em protesto a construção da mesquita próxima as decadentes torres.
Qual era mesmo o motivo do luto dos americanos? O fato verdadeiro perdeu o sentido pra dá lugar as velhas declarações insanas de uns poucos que fazem pequenas guerras por qualquer motivo. Será que haverá um atentado para derrubar a mesquita? Velha loucura.
É a o homem querendo voltar ao velho estado da natureza...
A aceitação é bem mais dificil que guerra...A violência é mais fácil de ser praticada.É mais bater que dá o rosto ao tapa. O mundo virou uma verdadeira máquina de loucos fabricados que pregam ilusões, a paz por meio da guerra. Destruir o outro para "o mundo se tornar mais limpo". É a ideologia de Hittler no mundo de hoje. Santa loucura.
Realmente a humanidade está caminhando para o abismo do dia que não teremos mais volta.