segunda-feira, 18 de janeiro de 2010


Phil McCarten/Reuters

O "Terceiro Mundo", a fome e o riso sarcástico de um imbecil
Emanoel Barreto

A Folha Online Ilustrada publicou matéria registrando que o comediante Ricky Gervais manifesta visão preconceituosa a respeito do "Terceiro Mundo". Leia abaixo.

Apresentador do Globo de Ouro é criticado por piada sobre "Terceiro Mundo"



ALEX DOBUZINSKIS
da Reuters, em Los Angeles


A NBC viu a sua  transmissão do Globo de Ouro atrair perto de 17 milhões de espectadores no domingo, um salto de 14 por cento em relação a 2009, apesar de uma apresentação criticada de Ricky Gervais.


Gervais, um comediante britânico mais conhecido como co-criador do seriado televisivo "The Office", causou excitação quando foi indicado para apresentar o Globo de Ouro em outubro. Seu humor afiado parecia apropriado para o público do evento.


Mas ele recebeu críticas mistas, com alguns dizendo que suas piadas foram de mau gosto depois do terremoto devastador no Haiti.

A certa altura, Gervais brincou que os habitantes do "Terceiro Mundo" se sentiam melhor quando viam uma estrela de Hollywood, e que uma criança asiática pobre está inclinada a pensar "mamãe!" quando vê fotos da atriz Angelina Jolie, que adotou órfãos do Camboja, Etiópia e Vietnã.

Em resposta, o "Chicago Sun-Times" escreveu: "Dada a tragédia que caiu sobre o Haiti na semana passada, a piada de Gervais sobre Angelina Jolie e crianças do Terceiro Mundo foi uma gafe".
....

Não, não foi uma gafe. Foi manifestação preconcebida, elitista e desrespeitosa aos países pobres. Melhor dizendo, àquela parcela da humanidade que é rotulada pelos países centrais como "Terceiro Mundo". Foi a expressão também de como uma celebridade, inculta e vazia, um tipo que trabalha para a indústria cultural mais inescrupulosa, e se utiliza dessa mesma indústria cultural para destilar um certo e odioso tipo de visão de mundo.

A "gafe" na verdade pode ser considerada ato falho, uma vez que desvelou, a título de blague, a crueldade dos que exploram o "Terceiro Mundo" e lhes impõem pesadas dívidas junto ao FMI, somente para citar um aspecto da questão.

É assim que somos vistos: como "pobres", "negros", "esfomeados". O discurso do comediante mereceria do jornal americano um editorial firme, assertivo, acusador. Seu pronunciamento infamante chocou até mesmo uma parte do público que assistia à sua apresentação.

Sem dúvida, ele confundiu a ficção dos filmes premiados com o Globo de Ouro com a realidade sombria dos povos levados à periferia global por ação dos países ricos. E quiz dar uma risada na cara da Humanidade.

Pensando em voz alta voz alta
 
Foto: http://1.bp.blogspot.com/_AXdBi3uO8dI/SxomkjQWsVI/AAAAAAAAAfM/XnheM9Q6ibI/s320/lingeria3.jpg

As aparências enganam.
As transparências encantam.
O olhar de esguelha não transparece,
mas a alegria do olhar é olhar o que
o que a visão vê e não esquece.
Nem pode...



 

Nenhum comentário: