sábado, 15 de agosto de 2015

PEQUENA HISTÓRIA DA CEGUEIRA



A fábula dos cegos e dos crocodilos


Certa vez um homem recebeu uma estranha proposta: "Você topa ser cego?"


Como estava em difícil situação financeira o homem quis saber quais seriam as vantagens de tornar-se cego. Ouviu que, como cego, teria condições maravilhosas como andar com uma bengala e ter um guia, além de ter a sua vida contada em livro que venderia milhões de exemplares. Com isso ganharia muito dinheiro e seria feliz para sempre.

O homem aceitou e imediatamente tornou-se cego como que num passe de mágica. Imediatamente recebeu a bengala e logo um guia assumiu o comando de sua vida. O homem perguntou ao guia para onde iriam e descobriu, para seu espanto, que o guia também era cego pois havia recebido idêntica proposta para ser cego.

Resumo: como todos haviam aceito a proposta, um cego guiava o outro e o outro comandava um terceiro e assim por diante até formar-se incontável multidão. A turba, em desespero, passou  a andar a esmo até que todos chegaram a um grande pântano. 

Quando já estavam com lama chegando ao pescoço um deles lembrou-se: se para todos ficassem cegos houvera uma espécie de contrato deveria haver destrato a fim de que pudessem voltar a enxergar e saber pelo menos onde estavam e como poderiam sair do atoleiro.

Todos concordaram. Imediatamente voltaram a ver, mas era tarde: velhos crocodilos, habitantes antigos do pântano, atiraram-se sobre eles e fizeram a festa. Pouquíssimos escaparam. Os sobreviventes então, a título de exemplo, passaram a contar a seus filhos a seguinte história:

Certa vez um homem recebeu uma estranha proposta: "Você aceita ser cego?"

Como estava em difícil situação financeira quis saber quais seriam as vantagens. Ouviu que, como cego, teria condições maravilhosas como andar com uma bengala e ter um guia, além de ter a sua vida contada em livro que venderia milhões de exemplares. Com isso ganharia muito dinheiro e seria feliz para sempre...

A história passou a ser contada e recontada, contada e recontada e recontada, contada e recontada geração após geração. Mas o pior  era o seguinte: mesmo contando a desdita ninguém sabia como sair do lamaçal. Que era grande, grande demais para quem havia aceito o acordo de por um dia, somente um dia, assumir a condição de cego. Veja só...
.................................



Endereço da foto:  https://www.google.com.br/search?q=CROCODILO&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0CAcQ_AUoAWoVChMI-IzfqtarxwIVQo4NCh0I3Qbn&biw=1920&bih=922#imgrc=I0pkMM5ce-nzzM%3A


Um comentário:

Renata Nascimento disse...

Muito bom. Assim é quando nos oferecem a mentira. Quando abrimos os olhos já é tarde demais.